Quarta-feira, 25 de Junho de 2008

Festa na Aldeia



 Mês de Agosto. Pelas fronteiras, os nossos emigrantes trazem a saudade na sua bagagem. Saudade da sua terra, saudade das sua gentes, saudade das suas festas.

 Percorrem milhares de km para voltarem à terra que os viu nascer, a sua homenagem aos entes perdidos, o abraçar à sua velha mãe, calcorrear as ruas da sua infância.

 Cheirar os eucaliptais, ver correr a água cristalina, ouvir o som do gado, o bater dos seus cascos no empedrado da sua aldeia.

 Ver a casa dos seus sonhos, erguer-se pintadinha de branco, um belo jardim fronteiro, uma fonte e um leão com o mundo a seus pés, mesmo ali no portão, contrastando com as construções antigas de pedra sobre pedra, com uma lareira a um canto onde ali, no pote, se coziam as batatas, as cenouras, os nabos e como sabia tão bem aquele cheirinho. A carne no fumeiro, os chouriços, os presuntos pendurados na trave da velha casa.

 Já não há cheiros como os da nossa infância.

 O carrão a fazer uma “vistaça” junto à vizinhança, sabem os deuses quantas canseiras, quantos sacrifícios, quantas horas de labuta, mas ali está ele para justificar o abandono da terra que o viu nascer pois aqui os dias são duros, o dinheiro curto e sonhos não concretizados.

 Ontem deram o salto com ou sem mala de cartão para terras de França. Depois outros países os receberam. Hoje, nesses países, deixaram descendência. Os filhos que só vêm à terra dos seus pais porque eles os trazem até que um dia ficam por lá pois esta terra já não é a sua.

 Todos os anos os nossos emigrantes regressam e, a sua terra, a sua aldeia está pronta para os receberem. Neste mês de Agosto as festas são uma constante, para gáudio do povo que recebem de braços os filhos pródigos e, assim, em todas as aldeias, ali no largo, perto do coreto, tudo fica engalanado, a música puxa para dar um pé de dança e é vê-los bailar a música que o povo gosta.

 A procissão sai, os anjinhos de braços abertos pedem aos céus que no próximo ano estes filhos da terra voltem de novo e de novo volte a haver... Festa na Aldeia.

(Tem aqui uma frame que não aparece.)


 



... Meu querido, mês de Agosto!

P.S. - O aparelho que está inserido na imagem tem dezenas de músicas que o povo gosta. É só clicar na seta >, deixar tocar, pegar na Maria e bailar.


 


publicado por marius70 às 09:51
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim

pesquisar

 

Janeiro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

posts recentes

Eu, escriba!

Morreu o "canastrão"

Mudança de hora

Madonna

A "mãe" natureza

arquivos

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Março 2016

Fevereiro 2014

Novembro 2013

Agosto 2013

Outubro 2012

Julho 2011

Maio 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Maio 2009

Janeiro 2009

Outubro 2008

Agosto 2008

Junho 2008

Maio 2008

Fevereiro 2008

Dezembro 2007

Agosto 2007

Maio 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Dezembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

tags

todas as tags

links

SAPO Blogs

subscrever feeds